27 de junho de 2019

Guilherme Azevedo, o próximo Everton

Compartilhe nas redes sociais

Convocado para treinos com a Seleção Brasileira e ascendido ao profissional do Grêmio, o meia-atacante Guilherme Azevedo vive uma grande fase pessoal. Grande aposta do clube e de Renato Portaluppi, o jovem de 18 anos (nasceu em 2001)  traz consigo uma década nas categorias de base do Grêmio e inspirações em Everton e Luan. Poderia ser melhor? 

Divulgação/Grêmio
Certamente pinçado na base pela provável saída de Everton, o canhoto Guilherme galgou muito espaço e destaque após a saída do seu concorrente Tetê. Ambos jogam na mesma posição, na ponta direita, e também dividem semelhanças nas características, com vantagem pra maturidade pra finalizar jogadas que o atual jogador do Shakhtar sempre demonstrou. Durante a Copa Ipiranga, por exemplo, Tetê era o titular, mas Guilherme entrava em praticamente todos os jogos (e sempre bem). Já na Copa SP, o titular mudou pela participação do Tetê no Sul-Americano Sub-20. Guilherme correspondeu, foi um dos melhores gremistas na competição. E foi crescendo muito a partir daí. 

Guilherme Azevedo é muito, mas muito parecido com o Everton que subiu ao profissional do Grêmio em 2014. Muito veloz, habilidoso e físico franzino. A grande diferença é que Everton joga na esquerda, com Guilherme jogando preferencialmente na direita. É um jogador que tem grande facilidade de acelerar com a bola no pé, enorme potencial no 1x1, tem uma boa finalização cortando pro meio, visão de jogo e compreende os aspectos táticos do jogo. Obviamente, pela idade, comete muitos equívocos nas decisões e é frágil fisicamente, mas são aspectos que se desenvolvem com o tempo e a experiência. 

Se Everton subiu com 17 anos, Guilherme sobe com 18 anos. Mas em momentos absolutamente diferentes. Em 2014, o plantel principal do Grêmio estava carente de qualidade, de talento bruto. Por isso ele e Luan receberam chances rapidamente. O momento atual do clube é de calmaria e cautela. Não é preciso lançar um jovem antes do tempo por necessidade. E isso que faz Gui Azevedo mais especial ainda, contrariando totalmente a linha de transição feita nos últimos anos. Existe a confiança que o jogador, mesmo aos 18 anos, está pronto para o profissional. E é legal encarar isso quando o jogador estava no Sub-17 há 9, 10 meses. 

Dos últimos jogadores revelados aqui, ninguém subiu tão jovem. Todos passaram mais ou menos um ano no Grupo de Transição, fator dispensado para o Guilherme, que praticamente vai do Sub-20 ao profissional. É um fenômeno. É um jogador que tu botas o olho e já vês que é diferenciado. O típico ponta brasileiro. Tanto é que o Paris Saint-Germain já está de olho há um bom tempo. 

É um jogador diferente dos outros da posição no profissional. O titular é o Alisson, jogador equilibrado, faz muitas coisas em campo, mas não tem tanto o talento e o 1x1, o reserva imediato Montoya deve ir para o Racing. Então é provável que vejamos Guilherme Azevedo com bons minutos no seu ano de estreia do profissional, ainda mais com a confiança que o Renato transparece no seu futebol. É um fenômeno, MUITO provavelmente a nossa grande joia pós-Matheus Henrique e Jean Pyerre. E olho vivo em Elias Manoel, hein. 



Por Nicolas Müller 

Siga-nos no Twitter: @linhaalta

Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes