22 de novembro de 2017

Traiçoeiro e vertical, Libertad aproveita início fraco do Independiente e tem a vantagem na semifinal

Compartilhe nas redes sociais

No primeiro jogo da semifinal da Copa Sulamericana, o Libertad saiu na frente do Independiente e leva a vantagem mínima para buscar a vaga na final semana que vem em Avellaneda. O 1x0 apareceu no placar do Defensores del Chaco antes da primeira volta no ponteiro, numa demonstração do quão traiçoeiro o time paraguaio pode ser. Gol do experiente Óscar Cardozo em momento de desconcentração da defesa argentina e agressividade alvinegra.
O experiente Oscar Cardozo foi o personagem do jogo. Fez o gol da vitória e foi expulso de forma infantil no segundo tempo
O Libertad entrou em campo escalado pelo espanhol Fernando Jubero sem maiores surpresas. O 4-4-2 bem ortodoxo da equipe de Assunção foi repetido, com muita experiência na defesa e no ataque. Nomes como Alcaraz, Paulo da Silva, Candia, Salcedo e Oscar Cardozo dão ''cancha'' ao alvinegro. Uma equipe muito vertical, que usa e abusa da velocidade pelos lados e do fato de atuar com dois homens de referência mais avançados
Disposição Tática inicial das equipes
Já o maior campeão da história da Libertadores, escalado por Ariel Holan, tentou repetir a estratégia do jogo contra o Nacional do Paraguai, fora de casa, na fase anterior da Sulamericana. Sanchez Miño foi escolhido mais uma vez para fechar a linha de cinco defensiva e atuar na ala esquerda. Tagliafico formou o trio de zaga. Domingo também ganhou chance. Meza e o jovem Barco atuaram por trás da surpresa Gigliotti. Bustos voltou a lateral-direita. Uma clara tentativa de ter superioridade numérica na saída de bola e no momento defensivo, já que o Libertad costuma ocupar o ''último terço'' com quatro homens.
Momento de construção inicial de jogadas do Independiente. Libertad a esta altura já marcava um pouco mais atrás. Setas amarelas indicam a pressão que exercem no setor e no homem que tem a bola.
A bola mal começou a rolar e o time da casa saiu na frente. Aos 29 segundos, a primeira demonstração de verticalidade do Libertad, e Oscar Cardozo recebeu no meio da desconcentrada linha defensiva argentina para abrir o placar com sua perna esquerda artilheira. Na origem da jogada, o camisa 9 usou o braço para dominar a bola. A postura inicial dos paraguaios somada ao caos que foram os dez minutos iniciais do ''Rojo'' quase fizeram o placar se movimentar novamente. Gastón Silva recuou de forma infantil para Campaña e Salcedo perdeu grande chance em falta de dois toques dentro da área.
Momento em que Cardozo é lançado para fazer o gol do Libertad

Aos poucos o Independiente foi colocando em prática o seu jogo de posse de bola, movimentação inteligente e paciência para furar o bloqueio dos anfitriões. O Libertad recuou o seu bloco de marcação e fechava bem os espaços, passou a apostar nos contra-ataques, que acabaram não sendo tão frequentes. Apenas um chute do ótimo Lucena voltou a incomodar aos 28'.  A equipe argentina chegou a quase 80% da posse de bola, mas faltava alguns detalhes para criar mais.

Barco e Meza se movimentavam muito bem e tentavam explorar o espaço entre as linhas paraguaias. O problema era a construção inicial. Diego Rodriguez e Domingo não conseguiam produzir bons passes e ''furar'' a linha de meio do Libertad. A circulação da bola com os volantes do ''Rojo'' era lenta e pouco efetiva. Somente quando Tagliafico fazia esse papel as jogadas fluíam com maior naturalidade. Sanchez Miño conseguia ser perigoso pela esquerda e as melhores tramas saíram desta combinação. Na melhor delas, Alcaraz quase marcou contra.

Na volta do intervalo o Libertad tentou adiantar novamente o seu bloco de marcação, mas encontrou um ''Rei de Copas'' mais concentrado no jogo. O visitante reagiu bem e logo se estabeleceu no campo de ataque. As dificuldades de penetração, porém, permaneciam. A que se destacar também o ótimo funcionamento defensivo dos anfitriões. Marcação com encaixes no setor, perseguições curtas, muita intensidade e coordenação nas coberturas e compensações. Mais uma vez a dobradinha entre Sanchez Miño e Barco era a melhor saída. Foram duas boas jogadas construídas por ambos antes do 15 minutos.

Ariel Holan sacou Bustos, que saiu muito irritado, para a entrada do meia-atacante Martin Benitez. Meza foi para a ala direita. O artilheiro Leandro Fernandez também entrou no lugar do inoperante Gigliotti. O garoto Barco quase empatou aos 20'. Bateu falta no canto do bom goleiro Muñoz e o arqueiro uruguaio colocou para escanteio. Com Meza um pouco mais atrás, o ''Rojo'' passou a ter outro jogador para qualificar a construção inicial. Isto somou-se à queda na intensidade do Libertad e a pressão ficou maior.

Leandro Fernandez quase marcou em passe do próprio Meza pouco antes da expulsão infantil do experiente Óscar Cardozo, que acertou uma cotovelada no rosto de Franco. Na tentativa de aumentar a vitalidade de sua puxada de contra-ataque, Jubero sacou Salcedo e colocou Recalde. Holan mandou sua equipe ainda mais ao ataque. Tirou o apagado Domingo para a entrada do ex-atacante corintiano Juan Martinez.
As equipes no final do jogo
Mesmo com um a mais e repleto de jogadores ofensivos, o ''Rei de Copas'' não conseguiu arrancar o empate. Alan Benitez ainda entrou para reforçar o lado direito da defesa paraguaia. Meza, Leandro Fernandez e Sanchez Miño tiveram boas chances na reta final da partida, mas Muñoz evitou que a bola entrasse. A vantagem não é grande e o Independiente tem totais condições de reverter em casa, mas vai precisar de um passe inicial mais qualificado para vencer o ferrolho paraguaio


Por Rodrigo Coutinho - @RodrigoCout

Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes