24 de outubro de 2017

River vence ferrolho do Lanús e sai na frente por vaga na final da Libertadores

Compartilhe nas redes sociais

Pela primeira vez em uma semifinal de Libertadores, o Lanus bem que tentou, mas não alcançou o seu objetivo na partida de ida contra o gigante River Plate. Na noite desta terça, no Monumental de Nuñez, os Millionarios se impuseram, sofreram, mas na reta final do jogo venceram o forte bloqueio grená com um gol marcado por Scocco aos 36' do segundo tempo. O jogo de volta acontece no próximo dia 31 de outubro, em La Fortaleza, e um empate garante o River na final.
Retrato do jogo: disputa intensa pela bola e poucas chances criadas
O sempre inquieto Marcelo Gallardo promoveu novas mexidas no River buscando o melhor rendimento. Desta vez, Montiel ganhou oportunidade na lateral e o uruguaio Saracchi barrou Casco na esquerda. Pitty Martinez foi deslocado para a direita do 4-2-3-1 e Scocco atuou na referência. Enzo Pérez e Ponzio foram os volantes. O Lanus não apresentou nenhuma surpresa em sua escalação inicial. Jorge Almiron montou sua equipe novamente no 4-1-4-1 marcando em bloco baixo.
Disposição Tática inicial mdas equipes
O jogo teve a cara esperada. O River com a bola no campo de ataque e o Lanus muito compacto. Marcando de forma intensa e tentando encaixar contra-ataques principalmente pelo lado esquerdo com Lautaro Acosta. Destaque para o funcionamento do sistema de coberturas da equipe grená, perfeito na primeira etapa. Marcone lendo perfeitamente qualquer espaço. Román Martinez e Pasqualini subindo marcação e tirando o raio de ação de Enzo Pérez e Ponzio. Linha defensiva sempre sustentada.

Circulado em vermelho, Pasqualini sai da linha de meio para pressionar Enzo Pérez. Imediatamente, Marcone, circulado em amarelo, fecha o espaço deixado. Coordenação perfeita entre os homens de meio também.
A estratégia do Millionários era aproximar o trio de meias na faixa central e abrir o corredor para os laterais passarem de forma simultânea. Desta forma ocuparia o campo de ataque e estaria próximo para executar a pressão pós-perda e abafar qualquer tentativa de contra-ataque adversário. Nesta aspecto deu certo, mas na prática os anfitriões criaram muito pouco. Apenas uma jogada trabalhada mais aguda: cruzamento de Saracchi e finalização de Scocco para a defesa tranquila de Andrada.
No detalhe o 4-2-3-1 do River com meias abertos variando para a faixa central. Laterais tinham todo o corredor e subiam de forma simultânea.
Faltava mais repertório para o River perto do terço final do campo. Utilizar mais a qualidade técnica dos jogadores de forma coletiva. Não foram poucos os cruzamentos sem resultado e passes em profundidade precipitados. Na metade da etapa, o gigante de Buenos Aires começou a adiantar a marcação para tentar criar algo mais. Conseguiu aos 44'. Scocco recebeu com certa liberdade na entrada da área, mas não marcou.

No segundo tempo o River voltou um pouco mais paciente e passou a rodar a bola de forma mais inteligente, sem forçar tantas jogadas e apelar para cruzamentos. Logo aos dois minutos, Scocco quase marcou após falha de Braghieri. Aos 10', foi a vez de Pínola acertar a trave após jogada incessantemente trabalhada. Dez minutos depois, Gallardo fez a sua primeira substituição. Sacou o inoperante Ignacio Fernandez e colocou o jovem uruguaio De La Cruz. O Lanús seguia com seu ferrolho e sem encaixar contra-ataques.

O que parecia ser uma tendência na segunda etapa acabou se perdendo com o passar dos minutos e o tricampeão continental voltou a se precipitar na construção ofensiva. Buscando mais agressividade e profundidade, Gallardo sacou o meia Rojas e botou o atacante Auzqui. Pitty Martinez foi para o lado esquerdo. O Lanús respondeu com as saídas de Velasquez e Alejandro Silva. Rojas e Aguirre entraram. Pasqualini foi para a lateral.

A insistência dos donos da casa, mesmo que não tão bem organizada em alguns momentos, foi recompensada aos 36 minutos. Pitty Martinez arriscou de fora da área, Andrada deu rebote e o sempre oportunista Scocco balançou as redes. Um prêmio para o time que mais tentou durante o jogo. Por mais que defensivamente tenha ido muito bem, faltou ao Lanús conseguir encaixar contra-ataques, praticamente não pisou no campo ofensivo ao longo da partida.

Por Rodrigo Coutinho - @RodrigoCout

Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes