24 de outubro de 2017

Inter atropela no primeiro tempo, cai fisicamente no segundo, mas bate a Sampdoria e dorme líder da Serie A

Compartilhe nas redes sociais

Com atuação muito convincente na primeira etapa a Internazionale venceu a Sampdoria por 3x2 nesta terça-feira, na abertura da 10ª rodada do Campeonato Italiano, e assumiu pelo menos momentaneamente a liderança da competição. Com o triunfo, o time de Milão chega a 26 pontos, um a mais que o Napoli, que ainda joga nesta quarta contra o Genoa. Icardi, duas vezes, e o zagueiro Skriniar marcaram para os interistas. O jovem polonês Kownacki e o experiente Quagliarella descontaram no segundo tempo. A Sampdoria, que quase empatou no finalzinho, segue na sexta colocação, na zona de classificação para a prévia da Liga Europa.
Perisic, o melhor em campo, abraça o artilheiro Mauro Icardi, autor de dois gols. Agora o argentino tem 11 tentos no campeonato
Disposta a vencer para manter a invencibilidade na temporada e dormir na liderança do Campeonato Italiano, a Inter foi escalada por Luciano Spalletti com a mesma base dos demais jogos desta jornada. 4-2-3-1 com Candreva e Perisic pelos lados, Icardi na referência e Borja Valero na meia central. Vecino e Gagliardinni na dupla de volantes e o quarteto defensivo titular. A Sampdoria também manteve a base, mas Marco Giampaolo preferiu a experiência de Barreto à juventude de Linetty no meio-campo. Murru ganhou a vaga de Strinic e Gastón Ramirez voltou à sua função na equipe inicial.
Disposição Tática inicial das equipes
A Internazionale fez um primeiro tempo de manual. Após minutos iniciais de dificuldade com a marcação adiantada da Sampdoria, mostrou ter muito repertório para vencer a estratégia adversária. Além dos constantes movimentos de apoio de Vecino, Gagliardinni e Borja Valero, da amplitude sempre mantida por Perisic e Candreva, e da rapidez de raciocínio de D´Ambrósio, Miranda e Skriniar, o time da casa apresentou muita intensidade, velocidade, aproximação no campo de ataque, chegada em massa à área oponente e uma artilharia pesadíssima. Só nos 45 minutos iniciais foram 14 finalizações.
Assim como já fazia na Roma, Spalletti utiliza 'saída de três' com um lateral fechando, no caso D´Ambrosio e outro se lançando à frente, no caso Nagatomo. Candreva faz a compensação pelo lado direito. Volantes se mexem muito para dar opção de passe.
Sampdoria subindo a marcação a todo momento. Dupla de ataque e losango de meio (Torreira está fora da imagem) tinha boa coordenação e intensidade, mas Inter superou a pressão.
No momento defensivo, Inter com a linha de quatro no meio bem montada. Borja Valero e Icardi à frente, dando o primeiro combate. Impedindo a boa circulação da bola por parte da Sampdoria. Bloco variava entre médio e alto 
Quando vencia o organizado e intenso primeiro bloco de marcação dos visitantes, os anfitriões imprimiam muita velocidade e tinham superioridade pelos lados do campo. A Sampdoria tentava sufocar com a sua dupla de ataque e o meio-campo em losango, mas nas vezes em que roubou a bola não conseguiu dar boas resoluções ás jogadas. E nas vezes em que foi superada, via o seu quarteto defensivo em pânico com as investidas de Candreva e Perisic pelos lados, os movimentos de infiltração de Vecino e Borja Valero, além da mobilidade e inteligência de Icardi.
Aqui um momento claro da Inter depois de vencer a primeira pressão da Sampdoria. Icardi, circulado de preto, já atrai um zagueiro e quebra a última linha. Perisic, circulado em amarelo, já se projeta. Mais próximo a ele, Borja Valero dá apoio. Esta foi a Inter; sempre com movimentos de apoio ao portador da bola e infiltração para o passe futuro. Uma aula no primeiro tempo.
E aqui num momento mais à frente. Lembram de D´Ambrosio na saída de três? Pois bem, ele já está na linha de fundo e tem a aproximação de Candreva. Vecino e Borja Valero, circulados em amarelo, já estão atacando a área.
A saraivada de chances interistas resultou em dois gols. O primeiro deles aos 17 minutos, marcado pelo ótimo zagueiro Skriniar após desvio no primeiro pau. E o segundo em uma finalização perfeita de Icardi. Dá pra dizer que pela imposição e pelo volume de jogo dos donos da casa ficou barato. No intervalo, Giampaolo sacou o apagado Gastón Ramirez e colocou o atacante Caprari. O desenho tático não se alterou, mas ao invés de um meia clássico, a Sampdoria passava a ter um atacante de mobilidade atuando como ponta de lança de seu losango de meio-campo.

O ritmo do segundo tempo começou um pouco menos intenso, mas o panorama tático não se alterou. A equipe visitante seguia subindo a marcação e não conseguindo alcançar o objetivo. Desta forma, a Inter não demorou para marcar o terceiro. Perisic percebeu o espaço no meio da última linha de defesa oponente e se infiltrou para receber em profundidade e cruzar para Icardi marcar aos oito minutos.

A vantagem, somada ao desgaste oriundo da partida contra o Napoli no último final de semana, fizeram com que o nível físico e de concentração dos nerazzuri tivessem uma queda. Giampaolo seguiu tentando fazer sua equipe repetir os bons resultados recentes e colocou em campo os jovens e talentosos Kownacki e Linnety. Os poloneses entraram nas vagas de Zapata e Barreto, respectivamente, e elevaram o nível técnico da equipe.

O cenário propiciou o gol do time de Gênova. Em raro contra-ataque cedido pela Inter, Quagliarella deu belo passe para Kownacki marcar aos 18'. Um minuto antes, Perisic havia acertado a trave e Candreva, aos 20', quase marcou o quarto em belo chute de fora da área. Quagliarella respondeu ao perder chance incrível. A partida ficou mais aberta e Spalletti começou a promover substituições para recuperar o nível físico de sua equipe. Vecino deu lugar a João Mario e Borja Valero foi recuado.

A Inter se retraiu e sofreu pressão na reta final da partida. Não conseguia contra-atacar com perigo e acabou levando o segundo gol. Quagliarella marcou de cabeça após cruzamento no segundo pau aos 39 minutos. Ficou ainda mais evidente o declínio físico da equipe. Nagatomo deu lugar a Santon para melhorar a marcação da última linha e Éder entrou na vaga de Icardi após o argentino perder grande chance aos 41'.
Frame do momento do cruzamento para o gol de Quagliarella. Inter com os 11 jogadores no último terço do campo e Sampdoria extremamente ofensiva.
Como as equipes terminaram
A atuação da Inter deixa muito claro que o patamar da equipe nesta temporada é de busca pelo título que não vem desde 2009/2010. Mesmo com a queda no segundo tempo, o coletivo interista mostrou muita superioridade enquanto esteve bem fisicamente. Há de considerar, porém, uma dosagem mais eficaz na intensidade nos próximos jogos. Já a Sampdoria reforçou a ótima impressão que já havia deixado e quase conseguiu um empate histórico. Grande trabalho feito por Marco Giampaolo e equipe que mescla bem juventude e experiência.

Por Rodrigo Coutinho - @RodrigoCout


Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes