19 de junho de 2017

Alemanha oscila na concentração, mas mostra fidelidade a estilo de jogo e bate a Austrália

Compartilhe nas redes sociais

A Alemanha estreou com vitória na Copa das Confederações. Jogando no Fisht Stadium, em Sochi, sudoeste russo, os atuais campeões do mundo bateram a frágil seleção da Austrália por 3x2. O resultado da partida externa o quanto os germânicos foram irregulares e levemente displicentes em alguns momentos dos 90 minutos. Mas o rendimento mostrou que a filosofia de jogo está bem assimilada pelos atletas europeus, mesmo muitos deles ainda em teste. Stindl, Draxler e Goretzka marcaram para os vencedores. Rogic e Juric descontaram.
Time alemão comemora o primeiro gol, marcado ainda aos quatro minutos.
Os alemães alcançam três pontos e estão na segunda colocação, com saldo de gols inferior ao Chile. Já os Socceroos fecham a primeira rodada no terceiro posto do Grupo B. Na próxima quinta-feira, ás 15h, a Alemanha pega o Chile. Os australianos encaram Canarões no mesmo dia, mas três horas antes.

Com pelo menos dez jogadores poupados da convocação para a Copa das Confederações, a Alemanha entrou em campo no 4-1-4-1 como esquema de partida, mas com muita variação no posicionamento dos jogadores, o que proporcionava diferentes formatações nas diversas fases do jogo. Kimmich funcionava como um ``zagueiro`` na saída de três ao lado de Rudiger e Mustafi. Hector dava amplitude pela esquerda, Brandt pela direita e Draxler variava para a região central do campo, se aproximando de Stindl e Goretzka.
Esta é uma imagem meramente ilustrativa. Abaixo você entenderá as transformações táticas alemãs
Draxler saía do lado esquerdo para o centro do campo constantemente.
Sem a bola, Brandt retornava para fechar a linha de cinco e Kimmich fechava para vigiar a movimentação de Rogic ou Mooy. Joachim Low montou sua equipe assim para explorar as deficiências de marcação e coberturas do setor esquerdo de defesa australiana. E também para preencher o seu último terço do campo, proporcionando a possibilidade de Kimmich se adiantar e ajudar a anular um possível jogo entrelinhas de Rogic ou Mooy.
Saída de ``Três`` da Alemanha com Kimmich alinhado a Mustafi e Rudiger

Aqui a Alemanha em rara fase defensiva, com linha de cinco atrás. Brandt fechando a linha pelo lado direito.

Já o time australiano foi montado por Ange Postecoglou no 5-2-3. Mooy e Rogic funcionavam como ``pontas construtores``, saiam dos lados e tentavam se oferecer para passes entre as linhas de marcação alemãs.
Nesta imagem, vemos o time australiano marcando de forma adiantada, mas também podemos perceber a quantidade de jogadores da Alemanha se aproximando da bola para dar apoio ao companheiro. Esta foi uma constante enquanto a Alemanha se concentrou no jogo.
Não demorou para a Alemanha fazer o seu jogo funcionar. Logo aos quatro minutos, Stindl serviu Brandt em profundidade. Ele encontrou o próprio Stindl na entrada da área para marcar. Detalhe para o inocente comportamento dos defensores socceroos no lance. Todos correram na direção da própria meta e deixaram a entrada da área despovoada.
Flagra do momento do gol. Reparem a linha defensiva da Austrália toda ``pra dentro`` de sua meta. E no destaque o espaço que Stindl tem para marcar
A Austrália até tentou induzir os alemães ao erro. Adiantou a marcação com intensidade, mas os atuais campeões do mundo mostraram um fator marcante da sua filosofia de jogo: aproximação, qualidade técnica, movimentação inteligente e progressão em bloco com a posse de bola. O resultado foram 12 finalizações no primeiro tempo e domínio completo das ações. Os germânicos poderiam ter ampliado o placar com certa facilidade antes de sofrerem o empate.

Com o tamanho domínio em campo houve um relaxamento natural da Alemanha e Rogic aproveitou um erro de passe de Draxler na saída de bola para finalizar duas vezes e provocar uma falha do goleiro Leno aos 40 minutos. O time europeu voltou para a partida e demorou apenas três minutos para estar em vantagem novamente. Goretzka tabelou com Stindl e foi derrubado por Luongo dentro da área. Draxler bateu a penalidade e marcou.

No intervalo, Postecoglou sacou o volante Luongo para a entrada de Kruse, recuando então Mooy. O funcionamento coletivo alemão não demorou para voltar a funcionar na segunda etapa. Com apenas dois minutos Goretzka foi lançado em profundidade por Kimmich e bateu na saída de Ryan para marcar o terceiro. A jogada mostrou mais uma vez as falhas defensivas gritantes da última linha de defesa australiana.
Flagra da origem do terceiro gol alemão. Mais uma falha da linha defensiva australiana.
A oscilação de rendimento e a desconcentração da Alemanha voltaram a recolocar a Austrália no jogo. Aos 10 minutos, Leno soltou uma bola fraca nos pés de Juric e ele diminuiu para o time da Oceania.

Joachim Low decidiu ``assumir`` de vez a linha de cinco defensiva para tentar proteger mais o time e reativar o estado anímico dos seus jogadores. Sule entrou na vaga do ótimo Brandt. Emre Can e Werner também saíram do banco para os lugares de Stindl e Sandro Wagner respectivamente. Era uma Alemanha mais forte defensivamente e posicionada em bloco baixo, esperando uma oportunidade de contra-ataque.
Como as equipes terminaram em campo
A Austrália cresceu no aspecto psicológico e se encorajou, Fez jogo parelho até os minutos finais e poderia ter empatado. A Alemanha também teve chances, Werner acertou a trave, mas foi um segundo tempo bem diferente do que o início da partida poderia supor. A vitória dos europeus é justa sobretudo pelo primeiro tempo jogado, mas o resultado mostrou bem aos jovens alemães a necessidade de ser constante ao longo de todo o jogo.

Por Rodrigo Coutinho - @RodrigoCout

Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes