31 de maio de 2017

Mais que um artilheiro, Ceifador e a importância coletiva para o Fluminense

Compartilhe nas redes sociais

O adjetivo ceifador é muitas vezes tratado de forma pejorativa por quem se refere a Henrique Dourado, mas o centroavante do Fluminense vem provando toda a sua importância para o plano de jogo do tricolor carioca. Artilheiro da equipe na temporada, o atleta é mais do que um simples finalizador no bom time montado por Abel Braga. Servente de um modelo coletivo, Dourado se beneficia desta realidade para alcançar números inéditos na carreira.
Artilheiro do Brasileirão com cinco gols, Dourado passa por uma temporada de afirmação no Fluminense
Não tem muito mistério. Quem procura estudar o futebol e entender as muitas nuances do jogo, sabe bem que o coletivo forte potencializa as individualidades. Henrique Dourado é um atacante muito acima da média tecnicamente? Não! Mas está longe de ser o ``grosso`` que já foi taxado muitas vezes. Mais do que isso: consegue entender as suas funções dentro dos conceitos que formam o modelo de jogo tricolor. Executa as movimentações e funções com correção e colhe os frutos.
Até o momento, Henrique Dourado tem a melhor média de gols da sua carreira em um período do ano

Dourado na proposição de jogo

Podemos começar a dissecar os papeis que o camisa 9 desempenha entendendo o jeito que o Fluminense joga. Na maioria das vezes o time das Laranjeiras propõe o jogo. Utiliza a ``saída de três`` com Orejuela entre os zagueiros, projeta os laterais quase no último terço do campo e conta com a aproximação dos meias interiores na faixa central para progredir com a bola. Em um segundo momento, os pontas exploram os espaços entre os lados e o centro da cancha, e Henrique Dourado flutua de uma ponta a outra da área.
Como o Fluminense sai jogando na maioria das vezes. Orejuela, dono de ótimo passe e movimentação, se infiltra entre os zagueiros. Laterais, fora da imagem, bem adiantados. Wendel e Sornoza se oferecendo  como opções de passe para começar a progredir no campo.
Aqui já no segundo momento de criação. Laterais praticamente como pontas, formam uma linha de cinco jogadores no terço final do campo. Por dentro, Wendel, jogador de muito talento e versatilidade, chega como apoio.
Interessante observar como o jogador se sente confortável desta maneira. O Ceifador é um ``9 nato``, busca quase sempre uma movimentação que obedece a padrões trabalhados desde as divisões de base no Brasil. Conceitos que já formaram grandes jogadores da função: entradas em diagonal entre os zagueiros, movimento corporal correto para fazer o pivô, posicionamento entre o zagueiro e o lateral ao lado oposto das jogadas nas bolas aéreas, corrida vertical para antecipar rebotes no momento dos chutes dos companheiros, e entrada no primeiro pau quando não há compensação e cobertura corretas na linha defensiva adversária.




O resultado é o seguinte: todos os gols de Henrique Dourado em 2017 foram marcados dentro da área. Sete de pênalti e cinco de perna direita, utilizando apenas um toque na bola. Ou seja, o Ceifador é um definidor, ``carimbador`` de bolas. Está quase sempre atento e bem posicionado para resolver rápido as jogadas. Fez ainda outros três de canhota, a perna ``boa``, e apenas um de cabeça. Somente em dois dos 16 gols, Dourado deu mais de um toque na bola.

Dourado no jogo reativo

Por não ter uma equipe ainda tão dominante contra adversários mais qualificados, o Fluminense assume também em muitos casos uma postura mais reativa. Como é um jogador lento, Henrique Dourado é inteligentemente utilizado como ``temporizador`` dos contra-ataques tricolores. É um time que tem jogadores com característica de velocidade no elenco: Richarlison, Wellington Silva, Wendel, Marcos Junior, Gustavo Scarpa, Lucas Fernandes, Maranhão... Então o Ceifador é quase sempre o alvo do primeiro passe logo após a retomada da bola. Sua função é clara, segurar a bola e esperar a projeção dos velocistas tricolores para acioná-los.


A sequência descrita acima ficou muito clara especificamente em dois jogos na temporada. A final da Taça Guanabara contra o Flamengo e a vitória contra o Atlético/MG há dois domingos. Neste último jogo, inclusive, o centroavante deu uma de suas duas assistências na temporada. Sem dúvida uma aula importante de como utilizar um jogador lento em contragolpes.

Perfeito nas penalidades

A confiança obtida com o bom rendimento e a importância coletiva para o Fluminense reforçam uma característica forte de Henrique Dourado, a eficiência na cobrança de pênaltis. O centroavante tem uma maneira toda peculiar de executar as cobranças. Vai pra bola praticamente caminhando e só esboça o movimento do chute no último momento. Quase sempre consegue deslocar grandes goleiros com certa facilidade e tem números impressionantes: só perdeu um pênalti na carreira, pelo Palmeiras, ainda em 2014. Em um time com a capacidade de drible e velocidade do Fluminense no terço final do campo, é muito provável que o atacante aumente os seus números até o final do ano.

Dourado na ``marcação alta``  

Este é um aspecto em que o jogador ainda precisa melhorar. Não dá ``migué``, participa da pressão alta tricolor quando ela acontece, mas falta mais contundência na abordagem de marcação e velocidade para fechar as linhas de passe.

Números Top na temporada

No comparativo com os principais atacantes do país, Dourado está muito bem posicionado quando o assunto é a média de gols por jogo. Ele fica atrás apenas de Fred, do Atlético/MG, que tem 0,77. Está em segundo lugar empatado com Lucas Barrios, do Grêmio, somando 0,66. Guerrero com 0,61, Pottker com 0,50 e Pratto, com 0,47, vêm logo atrás. No início da temporada, poucos imaginavam que o Ceifador figuraria acima de nomes tão badalados.
Atacante tem 27 anos e está no seu décimo-terceiro clube na carreira
Outro dado importante é a taxa de participação nos gols do Fluminense. O centroavante tem 28% de influência direta (gols e assistências) quando o Pó de Arroz balança as redes. Nada mal para quem a pouco tempo era considerado apenas um atacante limitado. Entender a característica do jogador e inseri-lo dentro de um contexto onde possa tirar proveito dela é mérito do treinador. Um renovado Abel Braga tem muitos méritos no crescimento do atleta e na montagem do bom time do Fluminense. Uma equipe que vai oscilar em virtude de ser um trabalho relativamente recente e pela juventude do elenco, principalmente com o plantel ``curto`` e sem tantas possibilidades, mas uma boa base está sendo construída no clube das Laranjeiras.

Por Rodrigo Coutinho - @RodrigoCout

Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes