30 de janeiro de 2017

Volta de Payet ao Olympique de Marseille é o grande movimento da janela de inverno

Compartilhe nas redes sociais

Depois de todo o imbróglio envolvendo o francês Dimitri Payet e o West Ham, o Marseille conseguiu contratar o excelente meia. Com passagem pelo clube antes de se transferir para a Inglaterra, Payet chega com a pressão de ser um estandarte da nova fase do clube, simbolicamente e tecnicamente.

Payet em ação pelo Marseille, ainda na primeira passagem (Foto: Getty Images)
A contratação de Payet por parte do Marseille, por tudo que o jogador construiu - principalmente na última temporada - é um dos melhores movimentos da atual janela de transferências, mas a forma como Dimitri deixou Londres causa um pouco de estranheza no seu futuro. Mesmo sendo completo ídolo da torcida dos Hammers, Payet forçou sua saída de forma antiprofissional e decepcionou o clube que lhe deu a oportunidade de dar o salto na carreira.

Mas como diria o outro, vida que segue. Payet não fazia uma temporada tão boa (o West Ham inteiro está abaixo) e não deve fazer tanta falta quanto faria na última janela. A opção por vender o craque do time é muito mais sensata do que mantê-lo na 'geladeira'. E 25 milhões de libras devem dar a chance do clube repor a sua saída com competência.

Para o Marseille a chegada do meia significa muitas coisas. Frank McCourt está realmente disposto a elevar o patamar do elenco, depois de contratar Morgan Sanson e Patrice Evra - outra bela contratação. Payet chega para ser a 'estrela' da companhia, o franchise player. Tecnicamente sabemos do que o meia é capaz. Os 29 anos, porém, deixam dúvidas em relação ao preço pago por ele, o que não parece ser uma preocupação do bilionário dono do clube.

A chegada de Payet, enfim, joga na cara do mundo que o Marseille quer voltar a ter competitividade a nível nacional desde já. A atual temporada deve ser somente de reconstrução, visto que o trio Monaco, Nice e PSG está bem a frente do resto, mas ainda assim deve ser importante para os próximos anos. Fazer a torcida acreditar no projeto (o que se torna fácil quando se investe milhões de libras em reforços) é um passo importante a se cumprir ainda em 16-17.

Florian Thauvin e Bafetimbi Gomis fazem boa temporada na França (Foto: Getty Images)
Rudi Garcia, treinador da equipe, já vem fazendo um bom trabalho. Conseguiu dar protagonismo ao jovem canterano Maxime López e ele deve ser um dos grandes nomes da nova era do clube. Florian Thauvin é outro que faz bela temporada, assim como o Pantera Gomis. Começar a consolidar jogadores será essencial já nessa temporada. McCourt fará grandes investimentos, mas o Marseille não é um novo Paris Saint-Germain, é importante ressaltar. E não precisa ser, basta conseguir bater de frente com o time da capital - o que Monaco e Nice fazem na atual temporada. A Ligue 1 viveu tempos sombrios com a hegemonia parisiense e as coisas parecem estar mudando, ao menos.

Nicolas Müller - @_nicolasmuller

Siga-nos no Twitter: @linhaalta

Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes