17 de janeiro de 2017

Morgan Sanson é o primeiro grande reforço da Era McCourt no Marseille

Compartilhe nas redes sociais

Após comprar o Olympique de Marseille em Outubro de 2016, Franck McCourt, empresário norte-americano, logo anunciou que investiria 180 milhões de libras em reforços para o clube nos quatro anos seguintes. O objetivo? Voltar a ser campeão nacional e, quem sabe, da Champions League. Dando início aos trabalhos no mercado de transferências, o clube marselhês anunciou a contratação do meio-campista Morgan Sanson, 22 anos, ex-Montpellier. 

(Foto: P. Lahalle/L'Equipe)
Sanson é a primeira contratação da Era McCourt e pode inclusive ser acompanhado por Dimitri Payet ainda na atual janela de transferências. O valor recebido pelo Montpellier gira em torno de 9 milhões de euros, podendo chegar a 12 milhões conforme objetivos no contrato (a cada vez mais comum cláusula de bonificação). Um valor singelo no atual mercado de transferências mundial, mas bem importante dentro dos limites do futebol francês, que vive quase que numa bolha

Revelado pelo Le Mans, clube que hoje amarga as divisões inferiores do país, Sanson chega com status de grande jogador para o Campeonato Francês e uma aposta bem inteligente para o processo de reconstrução que o clube irá passar nos próximos. Agrega talento em um time que vem se remontando a cada verão, mas que deve passar por bons anos de estabilidade a partir de agora.

Pode-se dizer que Franck McCourt chegou em um bom momento, aliás. O clube fez uma péssima temporada 2015/2016 após brigar pelo título da liga em 2014/2015 com Marcelo 'El Loco' Bielsa comandando uma equipe que contava com nomes como o próprio Dimitri Payet, André-Pierre Gignac, Andre Ayew e companhia. Com a saída de Bielsa e uma grande crise na temporada seguinte, a queda brusca de rendimento não foi surpreendente. A compra do clube por parte do McCourt levou esperança ao torcedor, embora a situação conte com todos os poréns possíveis. 

No entanto, é animador que Marseille possa projetar o clube voltando a lutar realmente por coisas grandes na França. O objetivo primário é esse, como destacou McCourt em entrevista ao jornal L'Équipe. Assim como Monaco e Nice fazem na atual temporada e o Lyon conseguiu há dois anos, é interessante que surjam ameaças reais à hegemonia do PSG dentro do país. Ter um clube extremamente dominante não é interessante para o nível futebolístico na liga.

Voltando a falar de Sanson, o meia chega para dar um upgrade logo de cara ao time. Com grande qualidade técnica, ótimo passe e capacidade de assistir companheiros - é o segundo maior assistente da Ligue 1, com 7 passes para gol, e atrás somente de Jean Michaël Seri, do Nice -, o jogador deve impactar imediatamente.o time comandado por Rudi García. O treinador, aliás, consegue até extrair bons resultados de um elenco com muitos buracos. O atual sexto lugar na liga é um bom indicador de que o trabalho está sendo bem feito, na medida do possível. 

Depois do desastre da última temporada, o Olympique já volta a sonhar com coisas grandes, embora ainda distante. O título não virá nessa temporada, nem ao menos uma vaga na Champions League, mas o Marseille começa a chamar a atenção desde já para a próxima temporada. Com Sanson, Maxime López, Florian Thauvin e, possivelmente, Dimitri Payet, ao menos será legal acompanhar o final de temporada dos Phocéens. Ao que tudo indica, Sanson é a primeira faísca de uma reconstrução promissora. 

Por Nicolas Müller - @_nicolasmuller

Siga-nos no Twitter: @linhaalta

Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes