21 de dezembro de 2016

`Separando homens de meninos`, Bayern doutrina Leipzig e se isola na ponta da Bundesliga

Compartilhe nas redes sociais

O Bayern Munique mostrou nesta quarta-feira porque é candidato fortíssimo ao inédito pentacampeonato da Bundesliga. Empatado em pontos com o emergente RB Leipzig antes do início da rodada, os bávaros trucidaram a jovem equipe do leste alemão com uma atuação coletiva praticamente perfeita. Thiago Alcântara, Xabi Alonso e Lewandovski marcaram ainda no primeiro tempo, fazendo a festa da lotada Allianz Arena. Com o 3x0, o Bayern chega a 39 pontos e abre três de vantagem antes da parada de inverno do futebol alemão.
Robben vence o marcador adversário em mais um ataque dos bávaros 

Nos primeiros dez minutos, a impressão era que o time visitante poderia fazer jus à classificação do campeonato e dificultar as coisas para os bávaros. Agressivo na marcação e vertical quando retomava a posse em seu 4-2-2-2 montado por Ralph Hassenhutl, o Leipzig chegou duas vezes com perigo, mas aos poucos foi sendo dominado por um Bayern em grande atuação coletiva, o que potencializou as conhecidas individualidades da eqipe
Disposição inicial das equipes

Escalado por Ancelotti novamente  no 4-2-3-1, o Bayern teve Thiago Alcântara centralizado entre Douglas Costa e Robben, e Vidal e Xabi Alonso iniciando as jogadas. A dupla encostava em Javi Martinez e Hummels, e fazia com que Lahm e Alaba se projetassem pelos lados. Formava-se então um bloco de jogadores muito talentosos e bem próximos, prontos para aproveitarem o espaço entre as linhas do adversário.

Clique aqui e leia sobre o RB Leipzig

Soma-se a este cenário, muita qualidade técnica para que essa bola saísse de trás com a velocidade necessária e rotação muito eficaz para fugir da pressão característica do Leipizig. Não que a jovem equipe tivesse seu bloco de marcação adiantado, marcou em bloco médio, mas é muito aplicada para tirar espaços do adversário. Nesta quarta, o esforço foi em vão.
Circulados em vermelho, Xabi Alonso e Vidal participando ativamente da construção inicial das jogadas. Circulados em amarelo, Alaba e Lahm se projetam e aproxima-se da entrelinha adversária. Reparem como Lewandovski e Robben pela direita, e Thiago e Douglas Costa pela esquerda, são opções para triangular e iludir o adversário

Com aproximação, talento e velocidade na intermediária do Leipzig, o tetracampeão da Bundesliga não demorou para transformar o domínio em gols. Lahm recebeu de Robben na linha de fundo e cruzou para Lewandovski finalizar na trave. No rebote, Thiago tocou para o gol vazio. Aos 24 minutos, já com o vice-líder afetado psicologicamente, o Bayern subiu a marcação e ocasionou um erro do ótimo Keita. Vidal roubou e a jogada terminou numa bela finalização de Xabi Alonso.
Organizado defensiva e ofensivamente, Bayern sobe linha de meio e rouba a bola de Keita com Vidal. Detalhe antes do segundo gol

O time da casa diminuiu um pouco o ritmo, e quando o RB Leipzig parecia voltar pro jogo, Forsberg fez falta criminosa por trás em Lahm e foi merecidamente expulso. Ali ficava claro o abismo existente entre os dois clubes. De um lado, uma equipe organizada, emergente e repleta de potenciais ótimos jogadores. Do outro, um time igualmente muito bem ajustado, mas composta por craques mais do que institucionalizados no mundo da bola.
Com um a menos, o Leipzig se montou em 4-4-1

Na reta final da primeira etapa, Douglas Costa recebeu em profundidade, driblou o goleiro Gulácsi e trombou com o arqueiro. Lewandovski bateu a penalidade e trouxe um cheirinho de goleada para a segunda etapa. Outros pontos interessantes do jogo do Bayern: no terço final do campo, o extremo do lado oposto que a jogada está acontecendo, se aproxima da bola para gerar superioridade numérica; Thiago Alcântara é o melhor passador da Bundesliga, aproveita e entrelinha adversária como poucos, mas tem chegado bastante a área para finalizar, muitas vezes se comporta como um atacante ao lado de Lewandovski e dá profundidade quando o polonês sai da referência.
No detalhe em amarelo, Douglas Costa sai da esquerda e vai para lado direito do campo para gerar superioridade numérica no setor e ser mais uma opção de jogada.

Na segunda etapa, Carlo Ancelotti aproveitou a manutenção do protagonismo de sua equipe na partida e poupou alguns atletas, principalmente Robben e Alaba, que deram lugar a Ribery e Bernat. Kimmich também entrou no lugar de Vidal. O Leipzig se fechou mais e resistiu bravamente ás investidas do Bayern. Lewandovski ainda perdeu duas ótimas oportunidades, duas bolas acertaram a trave e Gulácsi evitou uma vitória mais elástica.

O revés deve servir para o RB Leipzig como um choque de realidade, mas não pode ser tratado de forma exagerada. Pelo que já mostrou na competição, tem todas as condições de chegar na próxima Champions League, fato que já seria comparado a um título para um clube fundado em 2009. Já o time de Munique ganha mais confiança para sequência da temporada. São seis vitórias seguidas e um grupo em evolução, com totais hipóteses de chegar ao topo da Europa mais uma vez.

Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes