10 de novembro de 2016

E agora, Mourinho?

Compartilhe nas redes sociais

José Mourinho chegou onde queria chegar. Mesmo sendo amado no Chelsea, com títulos e alguma revolução no clube londrino, Mou nunca escondeu que seu grande sonho era substituir Alex Ferguson em Old Trafford. O mundo do futebol ficou, digamos, “ereto” com a notícia. O United vive uma fase de hibernação desde que Ferguson foi embora, o fraco David Moyes não conseguiu manter o nível, Van Gaal fez um “reset” no elenco contratando nomes como Martial, Schneiderlin e Schweinsteiger. Rendeu uma FA Cup em uma final trepidante contra o glorioso Crystal Palace e mais nada. 

Mourinho está sob pressão em Manchester. (Foto: Getty Images)
A temporada 2016/2017 começou com Mourinho na casamata e contratando forte: Ibrahimovic, o bom Eric Bailly, os absurdos 105 milhões de euros em Paul Pogba e o armênio Henrikh Mkhitaryan. Caríssimos, mas todos com bola para reerguer o United e tirar da “zona do meio” na Premier League.

Mesmo com três vitórias na arrancada, o time não encantou, não se viu um trabalho já com a mão dele. O que se via era um amontoado de bons jogadores. Jogando num 4-2-3-1, com Mata por dentro na linha de três meias e Fellaini e Paul Pogba de volantes, o time não tinha o controle de jogo que era característico dos trabalhos antigos de Mourinho, não tinha a defesa sólida que o consagrou. Tinha um time tomando sustos para adversários piores e ganhando na individualidade, quase sempre com Zlatan Ibrahimovic. 

Até que no dia 23 de Outubro teve o grande ponto de corte no trabalho: a goleada sofrida pro Chelsea de Antonio Conte. Jogando em um 4-4-2, com Pogba e Herrera por dentro, o time não teve a intensidade pra combater os Blues com Kanté e Matic, o giro de bola pra pegar a boa defesa armada de surpresa. Assistiu, esse é o termo, o United assistiu o recital de Eden Hazard (que saiu do ano sabático) e seus amigos. Depois desse jogo o United vai de mal a pior, não engrena, não se vê evolução.

Mourinho já entra em atrito com o elenco e não consegue resolver problemas táticos, Mkhitaryan não joga, o homem que só não fez chover em Donetsk e Dortmund chegou com a credencial de onze gols e quinze assistências na temporada passada somente na Bundesliga e tem, até então, só 136 minutos jogados, Martial, que rende mais por dentro, joga longe do gol, Rashford idem. Mata, que é o meia mais inteligente do elenco, não consegue distribuir o jogo. A defesa, tirando o regular Bailly e o ótimo De Gea, não consegue ser segura todo jogo. 

Já é novembro, o futebol não perdoa, enquanto o Liverpool e Chelsea demonstram franca evolução, o United emperra e fica pra trás na corrida maluca que é a Premier League. Mourinho quer ser o novo Ferguson, correto, entendo a ambição dele, tem talento provado pra isso, mas precisa baixar a guarda e ser um conciliador, coisa que nunca foi. O United tem problemas, Mourinho causa alguns, é bélico por demais e teimoso. Para de birra e evolui ou o United fica parado no tempo, como vem demonstrando. E agora, José?

@maiiron_

Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes