18 de setembro de 2016

Com aula tática no 1º tempo, Flamengo vence o Figueirense e mantém-se na cola do Palmeiras

Compartilhe nas redes sociais

Atuando de forma praticamente perfeita taticamente na primeira etapa, o Flamengo venceu o Figueirense por 2x0 na manhã deste domingo no Pacaembu, em São Paulo. A partida, com mando rubro-negro, contou com quase 30 mil torcedores na ensolarada capital paulista. O jogo mostrou uma equipe que sabe o que quer e como fará para conseguir os objetivos dentro de campo, contra outra que passou a maior parte do tempo se defendendo, sem demonstrar ter conhecimento do que era necessário para obter sucesso. Willian Arão e Diego marcaram os gols do Mais Querido.
Foto: Gilvan Mendes/CRF - Arão, o melhor em campo, comemora com Cuellar após inaugurar o placar no Pacaembu
Como Figueirense e Flamengo iniciaram o jogo

Precisando vencer para manter-se na cola do Palmeiras, o Flamengo entrou em campo ciente da forma que deveria atuar para superar a tentativa de ‘’ferrolho’’ montada pelo técnico Tuca Guimarães. Desde o primeiro minuto executou o seu modelo de jogo com muita intensidade e fidelidade ás ideias do ótimo técnico Zé Ricardo. Imprimiu velocidade na rotação da bola, teve Éverton e Gabriel saindo dos flancos e buscando a região central, Diego e Arão com intensa movimentação, laterais projetados dando amplitude e Cuellar auxiliando na saída de bola.

Nesta imagem vemos Éverton e Gabriel por dentro, auxiliando (losango amarelo) Diego e Arão e gerando superioridade numérica, além de opções de passe(setas vermelhas) para uma saída qualificada. Pará projetado e Cuellar mais atrás, próximo aos zagueiros

O conjunto de estratégias rubro-negras resultou num domínio absoluto no primeiro tempo, mas que só foi traduzido em gol aos 36 minutos, após lançamento de Rafael Vaz e gol de cabeça de Willian Arão. A mesma bola alçada que encontrou a cabeça do camisa 5, teve como destino em muitas outras ocasiões os zagueiros do Figueira. O único pecado do time da Gávea nos primeiros 45 minutos foi justamente a insistência na bola levantada. Algo natural quando percebemos as muitas aproximações e linhas de passe geradas pelos flancos no terço final do campo.
Flagra do momento do passe de Vaz para Arão marcar. Percebam Jorge e Pará(circulos pretos) bem projetados. Éverton e Gabriel por dentro, possibilitando a projeção de Arão(círculo amarelo) sem desequilibrar e distanciar a equipe. Flamengo é muito bem treinado por Zé Ricardo
Aqui a projeção gráfica do Flamengo no início da construção ofensiva

Antes de balançar as redes, o Flamengo ainda viu Leandro Damião perder um pênalti bem defendido por Gatito Fernandez. Diego e Jorge também tiveram boas chances, mas não conseguiram marcar. O Figueirense entrou em campo com um 4-2-3-1 e formação bem diferente da que vinha atuando. Werley foi escalado como volante ao lado de Jéfferson, e Marlon, lateral de origem, ganhou chance como extremo pela esquerda para vigiar os avanços de Pará. Tudo em vão! O Figueira marcou muito atrás, sem pressão ao adversário que detinha a bola e completamente perdido com a movimentação rubro-negra. Com a bola, como retomava a posse muito perto de sua área, não tinha opções de passe para progredir no campo. Sem repertório algum!
Aqui percebemos o Figueira com a linha de quatro do meio bem distante de onde está a bola. Éverton domina sem muita pressão. Flamengo 'deitou e rolou' diante do cenário

No segundo tempo, o time de Santa Catarina voltou com Ferrugem aberto pela direita, na vaga do inoperante Yago Rocha, alterou o desenho tático para o 4-1-4-1 e adiantou a marcação, melhorando no jogo. Enquanto teve pernas para manter a intensidade o Flamengo seguiu dominando a partida e protagonizou um lance, aos seis minutos, que demonstrou todo o forte coletivo da equipe atualmente. E um momento de pressão do adversário na saída de bola, saiu trocando passes curtos com muita aproximação, técnica e velocidade. Pena que a jogada foi finalizada por um Damião em manhã pouco inspirada. Seria um lindo gol!

Tuca Guimarães promoveu as entradas de Rafael Silva na vaga de Marlon, e Élvis no lugar de Bady. O Figueira melhorou, chegou a ensaiar leve pressão, muito em virtude dos espaços que o Flamengo a esta altura já dava. Zé Ricardo reagiu e elevou o condicionamento físico da equipe com as entradas dos descansados Fernandinho e Felipe Vizeu. Gabriel e Damião foram os escolhidos para sair. Deu certo, o vice-líder do Brasileirão retomou o controle da partida e Vizeu sofreu pênalti de Bruno Alves aos 23 minutos. Diego bateu firme, o excelente Gatito ainda tocou na bola, mas ela morreu no fundo da rede.
Como as equipes terminaram o jogo

Os últimos 20 minutos de jogo demonstraram um Flamengo ainda mais dominante. Perdeu ótimas oportunidades com Felipe Vizeu e encerrou a partida aos gritos de olé de sua apaixonada torcida. Resultado e atuação que corroboram o ótimo trabalho de Zé Ricardo e a qualidade técnica do elenco montado. O Flamengo promete brigar até o fim por esse título brasileiro.



Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes