24 de setembro de 2016

Bola parada eficaz resolve o jogo e Palmeiras segue líder do Brasileirão

Compartilhe nas redes sociais

O Palmeiras não é líder do Brasileirão e postulante ao título por acaso. A vitória por 2x1 sobre o Coritiba neste sábado, no Allianz Parque, mostrou a importância de ter uma equipe bem treinada em todas as fases do jogo. Por mais que mais uma vez tenha tido dificuldades para organizar-se ofensivamente mediante um adversário fechado, o Verdão resolveu a partida em sua excelente bola parada. A vitória mantém o Palestra na liderança do Campeonato Brasileiro, já que abriu quatro pontos para o vice-líder Flamengo, que só joga amanhã. Leandro Pereira e Mina fizeram os gols. Iago Dias descontou
Frame do momento de construção do segundo gol do Palmeiras. Cinco jogadores(quadrado vermelho) do Coxa se surpreendem e dão atenção ao mesmo tempo a Moisés, que serve Roger Guedes(seta amarela) dentro da área. O atacante tem pelo menos três opções(traços azuis) para servir dentro da área.

Sem Gabriel, Cuca decidiu colocar em campo uma equipe ainda mais ofensiva. Escalou Erik e Gabriel Jesus como atacantes de um 4-4-2 que tinha Dudu e Roger Guedes abertos em cada uma das pontas. O camisa 7, porém, saía da esquerda e buscava a faixa central, abrindo espaço para deslocamentos da dupla de atacantes. Moisés construía o jogo de trás e Tchê Tchê fazia as infiltrações. A tentativa de Cuca era aumentar a rotatividade do veloz sistema ofensivo do Palmeiras e confundir a marcação do Coxa.
Disposições iniciais de Palmeiras e Coritiba

A estratégia defensiva do Coritiba foi muito bem executada no 1º tempo. Carpegiani montou sua equipe num 4-2-3-1 reativo, mas que na maior parte da primeira etapa não tinha suas linhas tão recuadas. A compactação do Coxa e a aplicação na marcação no sistema de encaixes de curta perseguição travaram o Palmeiras. Por sua vez, a equipe da casa demonstrou muita precipitação, o que gerou erros de passe e movimentação pouco coordenada, ineficiente para a criação de espaços.
Neste frame percebemos o 4-2-3-1 do Coxa no momento defensivo
Coxa teve compactação e boa coordenação de suas linhas de marcação, mesmo marcando sob encaixes de curta perseguição

Cuca ainda tentou alterar o panorama voltando ao 4-3-3. Trouxe Dudu para o meio e abriu Roger Guedes e Erik. O time ganhou mais aproximação, mas só criou uma jogada em toda a primeira etapa. Gabriel Jesus fez tabela com Moisés e obrigou Wilson a fazer boa defesa. A postura do Coxa nos dez minutos finais já seria uma prévia do que viria após o intervalo. Uma equipe menos intensa no combate e com as linhas mais recuadas.
Palmeiras já no 4-3-3, antes dos 30 minutos do 1º tempo

O alviverde paulista voltou do intervalo com Leandro Pereira na vaga de Erik, e com Gabriel Jesus pela esquerda. Por ali, os dois mais talentosos da equipe começaram a desequilibrar em cima de um Coritiba bem diferente da primeira etapa. Não demorou para o Palmeiras criar chances e chegar ao gol aos cinco minutos. Falta cobrada para a área, desvio de Vitor Hugo e gol de Leandro Pereira após dividida legal com o goleiro Wilson.
Como as equipes voltaram para o 2º tempo. Jesus e Dudu desequilibraram pelo lado esquerdo de ataque.

O segundo tento veio seis minutos depois. Cobrança de falta muito bem ensaiada e gol do zagueiraço Mina após passe de Roger Guedes. A defesa do Coxa, firme e organizada no 1º tempo, assistiu de camarote a belíssima jogada do Palestra. O líder do campeonato seguiu criando chances e desperdiçou boas jogadas com Gabriel Jesus e Leandro Pereira.

Cuca resolveu reequilibrar sua equipe. Sacou Roger Guedes e pôs o volante Thiago Santos. Dudu, o melhor em campo, foi atuar na faixa direita. Precisando ao menos empatar, Carpegiani soltou sua equipe com as entradas de Evandro e Felipe Amorim. Ganhou mais opções de construção de jogo e a equipe reagiu. Aproveitou certo relaxamento defensivo do Palmeiras para diminuir com o bom atacante Iago Dias.
E aqui como as equipes terminaram o jogo

Com espaços, o Verdão criou mais chances e continuou desperdiçando. Não fizeram falta! A vitória, pautada na legítima e bem trabalhada ‘’bola parada’’, mostra como é importante não marginalizar qualquer que seja a estratégia para chegar ao objetivo final e ser dominante perante o adversário em algum aspecto.


Deixe um comentário

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores. É necessário estar logado no facebook para comentar.

 

Bem-vindo ao Linha Alta. Site com conteúdo futebolístico.

© Linha Alta 2016

Edited by Douglas Menezes